Almamater

Almamater Biblioteca Digital de Fundo Antigo da Universidade de Coimbra

Almamater Biblioteca Digital de Fundo Antigo da Universidade de Coimbra

Alma Mater é a biblioteca digital do fundo antigo da Universidade de Coimbra, constituído, maioritariamente por obras anteriores a 1940, os trabalhos preparatórios para a sua construção foram iniciados em 2006. Em 2014, possuía “[…] 5595 obras digitalizadas, que correspondem a 1.250.577 imagens” (Miguéis & Fiolhais, 2014, p. 241)1. Nem o projeto, nem a Universidade disponibilizam dados estatísticos atualizados. […]

O acesso às obras realiza-se por pesquisa, ou por navegação no sítio eletrónico, ou por pesquisa no catálogo SIIB|UC (Sistema Integrado de Informação Bibliográfica da Universidade de Coimbra), ou por pesquisa através dos motores de busca, combinando os termos a pesquisar com a expressão “almamater.sib.uc.pt”.

A pesquisa simples permite efetuar a busca nos elementos bibliográficos das obras, enquanto que, na pesquisa avançada, existe a possibilidade de pesquisa no conteúdo dos documentos, embora esta funcionalidade não seja evidente para o utilizador. A pesquisa simples inclui a pesquisa facetada2, ou analítico-sintética, que, além dos assuntos referentes ao conteúdo intelectual da obra inclui outras características ou denominadores comuns no conjunto das obras. Esta pesquisa permite a utilização de termos como, por exemplo, “livro antigo”, conduzindo mais assertivamente à obra ou conjunto de obras pretendidas.

A lista dos resultados da pesquisa pode ser ordenada por relevância, título, tipo, autor, data. Pode, também, ser refinada através da seleção do tipo de documento, origem, coleção digital, autor, área do conhecimento e idioma.[…]

Existe a hipótese de registar o utilizador, pressupondo a personalização do perfil e a construção de listas de interesse, mas funciona de forma irregular (nos testes realizados, a percentagem de sucesso na ativação do registo é de cerca de 10%).

É possível colocar, de forma direta, as referências das obras quer em gestores de referências, quer nas redes sociais, mas sem incluir ficheiros de imagem da página de rosto.3

No entanto agora surge um novo endereço, com roupagem e funcionalidades muito apelativas e úteis.

Aqui as coleções estão bem definidas e organizadas, facultado informações estatísticas como: o número de obras e o número de visitas à página. Destaca as últimas quatro obras adicionadas, mas apresenta o restante conteúdo da coleção e dá indicação sobre as obras mais visualizadas.

Quando se acede à obra temos os elementos da ficha bibliográfica, assim como a obra em PDF para se descarregar, ainda em fase de implementação. Neste caso a obra está completa mas dividida em pequenos ficheiros com a indicação do número de página da obra impressa a que correspondem. O acesso à obra realiza-se através da imagem.

[Andreae Vesalii Bruxellensis, Scholae Medicorum Patavinae Professoris, De humani corporis fabrica libri septem]

A obra digital apresenta à esquerda um sumário da obra onde são elencadas as partes constituintes do livro e o respectivo conteúdo, na presente obra, livros, capítulos, errata e index. Permitindo uma fácil navegação na obra.

É retomada, com melhoramentos, a primeira fase desta biblioteca digital, onde as obras eram disponibilizadas nos formatos PDF e JPEG, incluindo, um sumário estruturado do conteúdo da obra. 

Esperemos que assim que possível todos os conteúdos se encontrem disponibilizados com esta nova “roupagem”, muito útil. Uma mudança para melhor.

Cite this article as: Guerreiro, Dália, "Almamater," in Bibliotecas e humanidades digitais , 02/05/2019, https://bdh.hypotheses.org/2425.

 

  1. Miguéis, A., & Fiolhais, C. (2014). Recursos digitais em livre acesso na Universidade de Coimbra: Estudo Geral e Alma Mater. Revista Reciis, 8(2), 231–242. http://doi.org/10.3395/reciis.v8i2.937.pt []
  2. A Teoria da Classificação Facetada foi desenvolvida por Shiyali Ramamrita Ranganathan na década de 1930 []
  3. Publicado em: Guerreiro, Dália Maria Godinho. 2018. “Bibliotecas digitais para as Humanidades: novos desafios e oportunidades”. Tese de Doutoramento, Universidade de Évora. http://hdl.handle.net/10174/23282. []

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.