Grátis não significa sem custos

Continuamos a viver um tempo de exceção, devemos permanecer em casa. Devido a toda esta restrição de movimentos, as redes sociais tem divulgado um sem número de ligações com vista ao entretenimento individual, peças de teatro, musicais, espetáculos de ópera, de dança clássica, e de artistas contemporâneos,  a par dos livros, muitas deles  disponibilizados através bibliotecas digitais (BD).
As BD não foram criados para responder a uma necessidade pontual. As BD começaram a ser pensadas e desenvolvidas desde os anos 90 do século passado, ou seja, desde essa altura que existe um grande esforço económico e organizacional para disponibilizar gratuitamente1 os acervos em linha. 
As bibliotecas digitais, pensadas numa primeira fase, para responder às necessidades dos investigadores, estão cada vez mais abertas a todos os utilizadores, fornecendo as obras em formatos compatíveis com os dispositivos móveis.  No entanto as obras têm de estar em domínio público 2, ou seja não disponibilizam as obras atuais.  No entanto à exceções, a openLibrary realiza o empréstimo de ebooks, tendo como objectivo disponibilizar todos os livros publicados3.   Estas bibliotecas, apesar do elevado custo de produção4 sempre disponibilizaram obras de forma gratuita. Pelas reações das pessoas à divulgação destes acervos, creio que a maioria seria pouco conhecido ou mesmo completamente desconhecido do público em geral, ou seja  não havendo divulgação, não há a rentabilização do investimento. Além disso seria muito interessante que, passada a crise, divulgassem as estatísticas de acesso  e os dados comparativos a períodos idênticos. 

  1. não se está a pensar na indústria editorial, mas sim em instituições patrimoniais que disponibilizam os seus serviços de forma gratuita []
  2. em Portugal 75 anos após a morte do autor []
  3. ver site do projeto []
  4. tempo, saber, equipamento e pessoal []

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.